Taxa Selic: O que é, para que serve, qual a Selic de hoje?

Você conhece a taxa Selic? Sabe qual a taxa Selic Hoje? Mesmo que você não saiba, provavelmente já ouviu muito sobre isso nas notícias e até na web, especialmente se você está estudando ou trabalhando no mercado de ações e finanças.

A famosa taxa Selic é um dos principais indicadores da economia brasileira. Não é à toa que os jornais sempre anunciam todas as notícias que incluem ou não alteração da taxa Selic.

A taxa Selic, também conhecida como taxa básica, é uma sigla que significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia, mecanismo de controle de liquidez que o banco central utiliza para determinar a quantidade de dinheiro (dinheiro) na economia.

Você já deve ter visto, lido ou ouvido em algum lugar, afinal, a taxa Selic tem um impacto importante nas nossas finanças e no cenário econômico-financeiro.

A cada 45 dias, a Selic passa a ser conhecida em todo o Brasil – seja porque subiu, caiu ou ficou estável após a reunião do Copom, comitê de política monetária do Banco Central.

O que significa Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

O sistema especial de liquidação e custódia (Selic) foi instituído pelo banco central em 1979. Sua função original era trazer mais segurança e transparência à negociação de títulos do governo.

Além disso, a Selic foi criada em busca de um mecanismo de combate à inflação (aumento de preços). Em geral, quanto mais altas as taxas de juros, menor a inflação.
Isso ocorre porque, em um cenário de alta taxa de juros, as pessoas tendem a comprar menos. Isso ajuda a reduzir a demanda e também as taxas de inflação.

A taxa Selic afeta nossa vida diariamente de muitas maneiras. Portanto, ao entender as implicações da trajetória da Selic, você pode aproveitar oportunidades e evitar custos desnecessários em seus gastos.

O que é taxa Selic para que serve?

A Selic é a taxa básica da economia e afeta as taxas de juros de todas as transações financeiras realizadas no Brasil, incluindo as operações de crédito como financiamentos, compras a prazo, empréstimos e outros.

Como funciona a Taxa Selic?

Para explicar como funciona a taxa Selic, é preciso uma necessidade comum de qualquer governo:

Ter dinheiro para investir e quitar dívidas. A forma mais importante de um governo arrecadar fundos é por meio de impostos. Porém, quando houver necessidade de saldar dívidas ou fazer investimentos, o governo pode recorrer ao tesouro ao invés de aumentar os impostos.

A Secretaria do Tesouro emite os títulos, que nada mais são do que títulos de dívida vendidos pelo próprio governo por meio do sistema especial de liquidação e custódia.

Os títulos do governo são comprados principalmente por grandes instituições financeiras. Pois bem, o chamado depósito compulsório é uma lei que obriga essas instituições a transferirem um percentual de seus depósitos para uma conta no banco central a fim de controlar o excesso de dinheiro na economia e evitar um aumento descontrolado da inflação.

Além de depositar dinheiro, uma das maneiras de depositar no banco central é através da compra de títulos do governo.

Ao final do dia, após milhões de transações, a instituição financeira pode apresentar um valor maior ou menor do que deveria ter na conta do banco central.

Visto que esta lei deve ser respeitada, é comum que os empréstimos sejam mantidos com outros bancos para perdoar para que a lei possa ser aplicada.

A influência da Taxa Selic na Economia.

Na prática, a taxa Selic influencia não apenas a taxa de juros nas operações de crédito, mas também o desempenho de diversos ativos financeiros e índices de inflação.

Para alguns tipos de investimentos, o retorno do investimento está relacionado à Selic, de forma que os investidores obtêm retornos maiores quando essa taxa atinge um nível mais alto.

Eventualmente, quando há mais saídas de caixa do que entradas, os bancos correm o risco do dia com o Caixa no vermelho.

Para evitar que isso aconteça, eles têm que tomar emprestado de outras instituições financeiras ou até do Banco Central – e para essas operações é utilizada a taxa Selic.

Qual é a relação da taxa Selic com a inflação?

A taxa básica da economia brasileira também afeta a inflação. Em geral, quanto mais alta a Selic, menor é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, considerado o índice oficial de inflação do país).

Portanto, é comum que os bancos tenham aumento nos empréstimos, linhas de crédito e financiamentos a pessoas físicas e jurídicas.

A queda nos empréstimos para pessoas físicas e jurídicas também acaba desacelerando a economia. Essa redução no ritmo dos negócios geralmente se traduz em uma redução na inflação de preços. Ou seja, à medida que as pessoas e as empresas reduzem o volume de compras de um determinado produto, esse item tende a ficar em excesso nas prateleiras e assim o preço cai.

Assim, podemos dizer que a Selic desempenha um papel importante na economia e afeta muito a vida das pessoas; principalmente os que estão acostumados a fazer compras a prazo ou a recorrer às modalidades de crédito. Mas aprenderemos mais sobre este indicador neste conteúdo.

Como é Calculada a taxa Selic?

O cálculo da Taxa Selic é realizado por intermédio da equação abaixo:

imagem/Fonte: Banco Central.

Onde:

Lj: fator diário correspondente à taxa da j-ésima operação;
Vj: valor financeiro correspondente à taxa da j-ésima operação;
n: número de operações que compõem a amostra.

O Banco Central do Brasil decide o valor da taxa selic por meio do Comitê de Política Monetária (Copom). O copom é um grupo de oito membros do banco central que decidem coletivamente a taxa de juros da economia.

Quando e como é definida a Selic?

O Comitê de Política Monetária se reúne a cada 45 dias para verificar se a taxa Selic está subindo, caindo ou se mantendo estável.

Ou seja, se você souber que o banco central decidiu, por exemplo, aumentar a taxa básica de 3,50% para 4,25% ao ano, significa que o Copom decidiu em reunião aumentar a taxa de juros do país.

Quando o comitê de Politica Monetária se reúne a Selic pode tanto se manter estável, sem alterações, quanto aumentar ou diminuir em pontos percentuais.

O que faz a Selic subir e cair?

As Altas e baixas na taxa Selic, basicamente acontecem pela instabilidade na economia, e por isso ela precisa se ajustar ao cenário para que haja equilíbrio e o dinheiro continue circulando, esse é o simples motivo que faz a selic subir e cair, a economia.

Quais fatores influenciam as variações da taxa Selic?

A taxa Selic foi implantada em 1979, época em que a economia brasileira enfrentava um cenário hiper inflacionário. Seu objetivo sempre foi ser um instrumento de controle da inflação: qualquer mudança no Banco Central do Brasil acarreta aumento ou redução da inflação.

Além disso, podemos dizer que o Banco Central:

  • Aumentar a Selic, visa desacelerar a economia e evitar que a inflação suba muito;
  • Baixar a Selic visa estimular o consumo e abastecer a economia, aumentando a inflação quando ela estiver abaixo do valor da meta.


Até hoje, a Selic serve de referência para a economia brasileira – um instrumento de controle da inflação do país, que pode ser entendido como um indicador da nossa situação econômica.

Todos os brasileiros, bancos e até investidores estrangeiros sentem os efeitos da mudança da Selic.

Em tese, a Selic é a taxa de juros que outros bancos – “públicos e privados” – usam como base de cálculo de seus juros. Portanto, caso o governo altere a meta para a Selic, as taxas de juros cobradas pelos bancos e demais instituições financeiras devem teoricamente seguir as estabelecidas.

Se o governo decidir baixar a taxa de juros, o acesso ao crédito ficará mais barato e isso acabará por beneficiar novos investimentos e consumo e colocar a economia em movimento.

Uma economia aquecida é muito boa para o país e seus cidadãos. Do lado do empresário, empréstimos mais baratos os ajudam a expandir seus negócios. Por expansão de negócios podemos significar, por exemplo, novos empreendimentos comerciais, ou um leque mais amplo de vagas, e até mesmo novos produtos e serviços no mercado.

Dessa forma, as pessoas têm uma chance melhor de encontrar um. O emprego vai melhorar, suas rendas vão melhorar e o acesso ao crédito será melhorado, o que facilitará o consumo de bens e serviços.

Referências:
https://blog.nubank.com.br/taxa-selic/
https://www.bcb.gov.br/controleinflacao/historicotaxasjuros

ARTIGOS RELACIONADOS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

MAIS POPULARES